SPFW outono/inverno 2012

por Luiza Lie

Minhas sinceras desculpas por mais um sumiço meu, e eu sei, que agora não tem essa desculpa de prova e tal, porque eu estou de férias, mas eu não tive tempo quando eu estava viajando ( e nem internet em determinadas cidades ) e quando cheguei, ao invés de ocupar meu tempo postando, eu fiquei dormindo e assistindo séries. Sim, eu vacilei, e eu prometo que daqui pra frente vou assumir meu compromisso com o blog, e não vou mais ficar todo esse tempo sem postar. Essa eh minha promessa de 2012 gente!! Haha.

Ok. Agora chega de todo esse blábláblá e vamos ao que interessa. (:

Entre os dias 19 e 24 de janeiro, acontece lá no prédio da Bienal – no parque Ibirapuera – um dos maiores eventos do calendário da moda internacional: a 32ª edição do São Paulo Fashion Week.

E pra começar, quem abriu o evento no dia 19 foi a Animale. A estilista Priscila Daroult, responsável pelas criações do desfile, se inspirou na atmosfera de Moscou ( capital russa ) , voltada de um luxo mais antigo, uma elegância retrô.

A coleção teve muito trabalho artesanal e seguiu uma silhueta com shapes mais soltos, fluídos, calças estilo pijama e transparência. O comprimento mídi foi o mais utilizado no desfile.

A cartela de cores foi de tons de vermelho, verde-musgo, ouro e champanhe.

Make e cabelo: comandado por Max Weber, que preparou um make rocker, com os olhos esfumados. 

E o penteado foi com um estilo bumpit com um rabinho baixo. Inspirado nos anos 60.

Em seguida veio o desfile da grife Tufi Duek, assinado pelo estilista Eduardo Pombal. A coleção  partiu como ponto de inspiração uma viagem à Suíça, a neve, a pele dos animais, o calor da madeira  e foi adaptada ao nosso inverno tropical. Um desfile sóbrio com toques clássicos, muita elegância e com muitas referências urbanas e esportivas. Uma coleção sofisticada, chique e bem contemporânea. Looks futuristas com uma pegada retro, cinturas bem marcadas e ombros estruturados.

Mais uma vez o comprimento mídi imperou. E não podemos esquecer das ankle boots lindas que complementaram os looks.

A cartela de cores varia do branco ao preto, passando pelo prata e verde oliva.

Make e cabelo: Maquiagem bem natural, assinada por Daniel Hernandez. Pele bem feita, rímel, delineador, lápis branco e um batom nude.

O penteado foi um rabo-de-cavalo baixo com um volume atrás.

O terceiro desfile foi da Cori. Giselle Nasser ao lado de Andrea Ribeiro se inspiraram no hipismo. Uma coleção com muito couro e alfaiataria traz uma mulher sensual e feminina, com muitas saias com o comprimento abaixo do joelho, fendas até o meio da coxa e decotes profundos. 

A cartela de cores foi de tons de marrom, mostarda, salmão, preto e petróleo, e em alguns looks deu a sensação de folhas secas.

Atenção para os sapatos e as botas com salto em cone , bico fino e fechados. E as bolsas, lindas. Eu particularmente AMEI! 

Make e cabelo: Daniel Hernandez se concentra apenas nos olhos, usando uma sombra marrom acobreada.

Os cabelos foram bem presos em um rabo-de-cavalo e foi colocada uma faixa preta de latex para dar o acabamento.

E quem fechou a noite do primeiro dia do SPFW foi a grife Osklen, do estilista Oskar Metsavat. Uma coleção ecológica, com peças produzidas com tecidos orgânicos, como a seda ecológica e com tingimentos à base de vegetais, a marca reflete a Agenda 21 – um documento que estabeleceu a importância de cada país a se comprometer com questões sócio-ambientais . Cores fortes e vibrantes, muita sobreposição e  óculos estilo protetores. A grife deixa de lado o camuflado tradicional e utiliza o grafismo.

Make e cabelo: A maquiadora Fabiana Gomes, criou uma maquiagem supernatural para a beleza da Osklen. E o cabelo foi feito por Max Weber, que frisou algumas mechas e prendeu o cabelo em um rabo-de-cavalo bagunçado, com volume no topo da cabeça.

Bom gente, foi isso. O post ficou enorme, mais eu espero que tenham gostado. Comentem aí qual desfile vocês mais gostaram. Beijinhos.

Anúncios