“ Sobre como esquecer um cara ” por Bruna Vieira.

por Luiza Lie

Uma vez me perguntaram se eu sabia a formula pra esquecer alguém mais rápido. Lembro que fiquei surpresa com a pergunta, e na hora, inventei qualquer conselho clichê de amiga:

– Ah, aproveita a vida, encontre novas pessoas, se divirta.

Então, fiquei dias com aquela pergunta na cabeça “Como esquecer um cara?”. Será que eu já fiz isso antes? Quanto tempo demorou? Como foi que eu superei? Pra responder minhas próprias perguntas, abri uma caixa de fotografia que guardo na última gaveta do armário, e peguei algumas fotos antigas.

Lá estavam todos os amores que tive até então. Alguns engraçados, alguns pegajosos, outro românticos e em grande maioria, confesso, galinhas. Independente do motivo pelo qual eu disse ou escutei um “adeus” eles estavam lá no momento daquelas fotos (e em muitos os outros também), fazendo caretas, com uma lata de cerveja na mão ou sei lá, com um sorriso tímido de quem não queria estar ali. Cada um com sua própria característica, essas que me fizeram por algum tempo, estar apaixonada por eles.

Pode parecer tolice, mas eu não seria absolutamente nada sem eles. E se fosse, seria alguém muito chata que ainda brinca de Barbie. Quero dizer, foram eles que me ajudaram a enfrentar e a superar os momenos mais difícis da minha vida. Mesmo em grande parte, sendo eles o motivo principal da tristeza.

Não estou falando que eles merecem uma segunda chance ou um telefonema meu toda sexta, mas que simplesmente merecem não serem esquecidos. Até porque se eu esquecer deles, também me esquecerei do que fui. E se eu quiser sentir orgulho de mim mesma toda vez que olhar no espelho, terei que ter lembranças pra justificar o motivo de sorrir e esperar que amanhã seja sempre melhor que hoje.

Afinal, eu não preciso de um final feliz pra estar feliz, preciso?

Anúncios